Obra do Berço/Institucional

Institucional

MISSÃO

Promover ações socioeducativas à criança, ao adolescente, ao jovem e famílias, visando a formação de um ser humano participativo e ciente de seu papel como cidadão.

VISÃO

Ser referência pela eficácia na prestação de serviços à sociedade.

Saiba como você pode ajudar!

VALORES

SOLIDARIEDADE – fortalecer-se mutuamente.

EQUIDADE – reconhecer igualmente o direito de cada um.

SEGURANÇA – comprometer-se em cumprir acordos.

INTERAÇÃO – construir vínculos sociais por meio de experiências significantes.

COMPETÊNCIA – integrar conhecimentos, habilidades e atitudes.

QUALIDADE – aperfeiçoar a gestão de pessoas, conhecimentos, processos, ações e resultados.

PRINCIPAIS EIXOS DE ATUAÇÃO

  • Desenvolvimento da cidadania e acesso aos direitos socioassistenciais;
  • Atividades socioassistencias, de forma gratuita, continuada e planejada, com o intuito de prevenir e dirimir a ocorrência de situações de vulnerabilidade ou risco social e pessoal;
  • Educação infantil;
  • Proteção Social básica a crianças, adolescentes, jovens e suas famílias.

DIRETRIZES DE ATUAÇÃO

  • Política Nacional de Assistência Social, do Plano Nacional de Assistência Social;
  • Sistema Único da Assistência Social do Município de São Paulo;
  • Plano Nacional de Educação;
  • Concepções interacionistas-construtivistas.

CONCEPÇÕES

Alunos e usuários, crianças, adolescentes, jovens e membros de suas famílias, sujeitos de direitos e deveres, inseridos em uma sociedade caracterizada por uma cultura, uma história e uma política, cuja realidade atual é marcada pelas desigualdades socioeconômicas. São profundamente marcados pelo meio social em que se desenvolvem e participam ativamente desse meio, marcando-o também.

A construção de sua identidade, conhecimento e relações baseiam-se nessa interação social e têm como referência fundamental o núcleo familiar. Concebidos portanto, como seres humanos integrais e complexos, com necessidades específicas de seus grupos etários, em constante interação com o meio físico e sócio cultural, são cidadãos de direitos e deveres, com potencial para gerar transformações pessoais e sociais.
A criança, o adolescente e o jovem também são vistos pela condição peculiar de desenvolvimento em que se encontram, o que justifica a importância de vivenciarem oportunidades de interação ativa com objetos de aprendizagem, de convívio social, no confronto de hipóteses e experiências significativas, permeadas por relações de afeto e vínculos, condições necessárias para sua constituição como seres humanos e cidadãos.

Família, centralidade da ação socioassistencial, núcleo social básico de acolhida, convívio, autonomia, sustentabilidade e protagonismo social, dinâmico e fundamental para a constituição do ser humano. É a primeira referência de pertencimento grupal primário.

Hoje constituída de novos e diversos arranjos, é alvo central da atenção das políticas de proteção social, possuidora de direitos, entre eles os da seguridade social, bem como de deveres e responsabilidades, na medida em que é mediadora das relações entre sujeitos e coletividade, o público e o privado e geradora de modalidades comunitárias de vida.

Comunidade, contexto importante para constituição do ser, das relações e vínculos de pertencimento social e de parcerias institucionais, que componham uma rede de proteção social, integradora de recursos e serviços, capazes de propiciar aos alunos e usuários a ampliação de acesso aos direitos e conscientização de deveres, atividades sociais, culturais, de educação, de saúde e esportes.

Trabalho Social, voltado à família, consiste em ações socioassistenciais de acolhimento e escuta qualificada, reuniões socioeducativas, participação em atividades nas unidades de atendimentos, em visitas domiciliares ou ações na comunidade, com vistas ao acompanhamento e encaminhamentos para a rede de proteção social que lhes dê acesso a seus direitos de cidadania.

Trabalho Socioeducativo, desenvolvido com base nos “Parâmetros Socioeducativos da Prefeitura de São Paulo” por meio de estratégias de base interacionistas – construtivistas, sistematizadas em ciclos dinâmicos e em constante revisão, construídas a partir da análise de contextos de realidade e território, participação dos alunos e usuários por meio de propostas, avaliações qualitativas e quantitativas e planejamento estratégico.

Serviços, conjunto de atividades e atenções profissionalizadas, sistemáticas e contínuas, organicamente articuladas em torno de objetivos comuns adequados a cada faixa etária de público atendido, realizadas em local de trabalho referência (podendo se estender ao território), destinadas a garantir necessidades básicas, acesso a exercício da cidadania e proteção social ao cidadão, afiançando-lhes, como alunos e usuários destes Serviços, aquisições sociais que resultem em exercício capacitador de vínculos sociais e que ofereçam respostas a situações que expressam necessidade concreta da população.

Projetos, ação socioeducativa complementar ao Trabalho Social e Socioeducativo com objetivos adequados a cada público atendido pertencente a mesma Instituição, em processos de integração, replanejamento e atualização constante, condizentes com as necessidades dos alunos e usuários dos Serviços, condição desejada para oferecer novas oportunidades de alcance dos direitos de cidadania, sob os mesmos princípios e diretrizes, proteção social aos alunos, usuários e famílias.

Programas, ação social governamental criada para enfrentamentos de problemas sociais de ordem nacional ou regional.

Gestores, Assistentes Técnicos, Orientadores Socioeducativos e Agentes Operacionais, colaboradores mediadores do processo de construção das vivências e aprendizagens socioeducativas dos alunos e usuários, em constantes interações sociais com os mesmos e suas famílias, bem como interações operacionais com seu objeto de trabalho.

Objetos de trabalho e processos de atuação profissional, interagindo com o dinamismo do mundo atual, pressupondo constantes aprimoramentos por meio de formação externa ou interna nas diferentes áreas. Atualização abril’2021

Estrutura organizacional

Diretoria, Órgãos Sociais e Administração
Os órgãos da administração da Associação desenvolvem as atividades necessárias para alcançar seu objeto social, respeitando o Estatuto Social e as disposições legais, especialmente, o Plano Nacional de Educação, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o Estatuto da Criança e do Adolescente, a Lei Orgânica da Assistência Social, a Política Nacional de Assistência Social e o Sistema Único da Assistência Social.

As funções de Direção, Conselhos Honorário, Fiscal e de Gestão, são exercidas voluntariamente.

Presidente:
Vera Helena Mendonça Pires Oliveira Dias

Vice – Presidente:
Aline Rios Ramalho Foz

Diretora Financeira:
Cristina Vidigal X. da Silveira Ceragioli

Conselho Fiscal:
Ana Maria Fontes Lessa Coltro
Carla C. Lerio Zancaner de Ulhôa Cintra
Gilberto Lerio
Guilherme Marinho de Azevedo Sawaya
Miguel da Cunha Gonçalves Prado

Conselho Gestor:
Maria Bernadette A. Mello Magalhães
Marina Pires Oliveira Dias Foz
Marta Ayres Hegg
Roberta Pires de Oliveira Dias

Auditoria:
Ernst &Young Auditores independentes S/S

Conselho Honorário:
Renata de Camargo Nascimento

Membros:
Álvaro Coelho da Fonseca
André Victor Neuding
Antonio Claudio Guedes Palaia
Arthur José de Abreu Pereira
Beatriz W. de Oliveira Nascimento
Cely de Arruda M Mcnaughton
Charles Mcnaughton
Eduardo Malta Campos
Eduardo Manoel Nogueira
Fernanda Higgins
Flavia Regina de Souza Oliveira
Gilberto Andrade Faria Jr.
Jorge Prada
José Pires Oliveira Dias Neto
José Romeu Ferraz Neto
Luiz de Alencar Lara
Luiz Masagão Ribeiro
Marcos P. Assumpção
Maria de Fátima Rocha
Maria Paula de Azevedo Sodré
Mauricio Monteiro
Patricia de Abreu Pereira
Paulo Carlos de Brito
Paulo Sergio C. Galvão Filho
Paulo Sergio Giugni
Regina Camargo Pires de O. Dias
Roberto Sheldon Higgins
Sergio de Magalhães